quarta-feira, 28 de outubro de 2015

HQ News

Por essa poucos esperavam, nem a DC Comics. A Arlequina se tornou a fantasia mais vendida para o próximo Halloween, superando até mesmo o Batman, Coringa e todos os personagens famosos do universo de Gotham. Ela superou em popularidade até mesmo a franquia Star Wars que atualmente está na crista da onda com a grande publicidade que está sendo feita para o lançamento de mais um filme da série espacial agora no próximo mês de dezembro. E o que afinal estaria trazendo tanta popularidade para a palhacinha psicopata? Para os experts no mundo dos comics a Arlequina estaria tão popular por causa da expectativa dos fãs de cultura pop em relação ao filme "Esquadrão Suicida". A produção só chegará nas telas em agosto de 2016, mas isso não significa que a ansiedade seja menor.

Arlequina será interpretada pela bonita e sensual atriz Margot Robbie, o que fez o interesse crescer ainda mais. Para alguns a personagem uniria elementos explosivos em sua personalidade. Apesar de ser uma loirinha linda ela também se comportaria de forma completamente fora dos padrões, namorando um maluco (o Coringa), sendo extremamente violenta. Violência, insanidade e sexo costumam atrair mesmo a atenção de muitos leitores em quadrinhos. Curiosamente a Arlequina foi criada há poucos anos, mais especificadamente em 1992 e desde sua primeira aparição na série animada do Batman só tem chamado mais a atenção do público. Outro fato curioso é que ao contrário de todo o universo Batman ela nasceu primeiro em uma animação, para só depois ir para as revistas em quadrinhos.

Desde sua criação ela já transitou por vários outros universos da DC, tendo inclusive ganhado um título próprio mensal que começou a ser publicado em 2001. Essa primeira leva de revistas chegou ao fim dois anos depois. Atualmente Arlequina está sendo publicada na série "Os Novos 52" da DC e suas revistas andam chamando mais atenção do que a de demais personagens consagrados. Recentemente inclusive houve uma polêmica envolvendo as responsáveis pela revista da Arlequina pois elas foram acusadas de glamorizar uma cena de suicídio em uma das edições. A controvérsia teve ampla repercussão em jornais e revistas americanas. Será que isso abalará sua popularidade. Se depender dos fãs que vão comprar sua fantasia no Halloween certamente não!


Superman 
O Superman é o mais clássico dos personagens de quadrinhos e também o que mais sofre com os tempos atuais. Em uma época em que sujeitos sérios e com altos padrões éticos e morais são confundidos com conservadores chatos e boçais, o Superman corre o risco de virar obsoleto para as novas gerações. Espantado com o exercício de futurologia? Pois então pense. O homem de Kripton é de um bom mocismo à toda prova. Ele sempre honrou pai e mãe (sejam os verdadeiros, sejam os que o acolheram aqui na Terra) e por essa razão pode ser rotulado de ser um quadradão!

É de se espantar até mesmo que o Superman tenha sobrevivido aos loucos anos 1960. Naqueles tempos conturbados, com muito sexo, drogas e Rock ´n´ Roll os ideais do Homem de Aço certamente causavam arrepios nos hippies cabeludos. E que história é essa de usar uma bandeira como uniforme? Afinal de contas não adianta modernizar ou colocar o Superman em mil e uma novos contextos históricos. Ele foi criado como um garoto valoroso dos anos 1930 e 1940 e jamais mudou. Não adianta chamar o Superman de reacionário ou careta. Ele é o que sempre foi e mudar a essência do personagem é um tremendo erro. Ele é caretão supra sumo do bom mocismo? Sim e deve continuar desse jeito, da maneira que foi criado e pensado por seus criadores. Todo o resto é bobagem fora de contexto.

Júlio Abreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário