quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Star Wars - O Despertar da Força

Título no Brasil: Star Wars - O Despertar da Força
Título Original: Star Wars - The Force Awakens,
Ano de Produção: 2015
País: Estados Unidos
Estúdio: Walt Disney Pictures
Direção: J.J. Abrams
Roteiro: Lawrence Kasdan, J.J. Abrams
Elenco: Daisy Ridley, Harrison Ford, Mark Hamill, Carrie Fisher, Max von Sydow
  
Sinopse:
Rey (Daisy Ridley) é um jovem que vive em um planeta deserto, perdido no meio da galáxia. Para sobreviver ela retira velhas peças de naves espaciais destruídas para trocar por ração. A vida é dura, mas ela luta dia a dia por sua sobrevivência. As coisas mudam para valer quando ela salva um pequeno droide da destruição. Ao livrar o robozinho do ataque de um nativo ela descobre que ele carrega uma importante informação dentro de si: o mapa que mostra a localização do mitológico cavaleiro jedi Luke Skywalker (Mark Hamill) há muito tempo desaparecido. A valiosa informação passa então a ser disputada pela Primeira Ordem (herdeira do Império e representante do lado negro da força) e a Resistência Rebelde.

Comentários:
Esse filme marca a volta de "Star Wars" aos cinemas. Depois da péssima última trilogia dirigida e escrita por George Lucas ele resolveu, farto de tantas críticas, vender todos os direitos autorais para a Disney pelo valor de quatro bilhões de dólares. No começo os fãs ficaram meio desconfiados, afinal de contas havia um receio que a saga ficasse ainda mais infantilizada sob comando dos estúdios Disney. Se essa for a sua preocupação pode ficar tranquilo. A contratação do diretor J.J. Abrams se mostrou muito certeira. Ele, claro, preferiu não mexer em muita coisa, optando ao lado do veterano roteirista Lawrence Kasdan, em escrever um roteiro bem referencial aos primeiros filmes. O resultado é um misto de "Guerra nas Estrelas" com "O Império Contra-Ataca". A estrutura do roteiro é basicamente a mesma e a função que os personagens desempenham no enredo nos remete imediatamente aos heróis dos primeiros filmes. Há cenas que praticamente são idênticas, como o decisivo confronto entre Han Solo (Ford) e seu filho, Kylo Ren (Adam Driver), agora seduzido pelo lado negro da força. Outras são claras homenagens ao filme original, como quando Han Solo chega em uma obscura taverna onde toca a mesma banda do primeiro "Star Wars". Com efeitos especiais mais discretos e bem realizados, a trama se mostra redondinha, conseguindo se fechar bem sobre si ao mesmo tempo em que deixa portas abertas para as óbvias continuações que virão. A heroína Rey (Daisy Ridley) é um achado, uma espécie de Luke Skywalker de saias. A preocupação em ligar sua vida à de Luke se mostra o grande gancho que no final ligará todos os filmes. No geral, apesar de ser tão derivativo que chega a comprometer sua originalidade e identidade, esse novo filme ganha pontos por ter deixado tudo o que estragou a última trilogia de lado. Não há personagens idiotas (como Jar Jar Binks) e nem excessos de efeitos digitais gratuitos. Tudo parece mesmo no lugar. No final o filme conseguiu agradar não apenas aos fãs veteranos como também à essa nova geração que está sendo apresentada pela primeira vez a esse universo. É Certamente um ótimo pontapé inicial para essa nova trilogia que vem por aí.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário