quarta-feira, 9 de março de 2016

Oscar 2016: Ex_Machina Instinto Artificial

O grande vencedor do Oscar 2016 na categoria Melhores Efeitos Visuais (ou Melhores Efeitos Especiais) foi "Ex_Machina Instinto Artificial". Esse foi um prêmio que pegou muitos de surpresa, justamente porque os concorrentes eram de peso e o filme sobre a androide feminina não era tão cotado, de certo modo era até mesmo o azarão da noite. Imagine concorrer ao prêmio técnico mais importante do Oscar com super produções como "Star Wars - O Despertar da Força", "Mad Max - Estrada da Fúria" e "Perdido em Marte". O único estranho no ninho nessa categoria era mesmo "O Regresso", uma vez que faroestes nunca são indicados em efeitos especiais (esse foi um caso único na história do Oscar até os dias de hoje).

Outro fato chama a atenção: todas as equipes que foram indicadas ao Oscar em efeitos especiais já tinham sido indicadas antes, mostrando que essa categoria definitivamente não é coisa para amadores ou novatos. A equipe que criou os efeitos de "Star Wars - O Despertar da Força", liderada por Roger Guyett, por exemplo, foi a mesma que foi indicada por "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" (O melhor da franquia Harry Potter em termos de efeitos especiais), "Star Trek" (o primeiro filme da nova franquia) e "Star Trek - Além da Escuridão" (sua elogiada sequência). São extremamente competentes em sua área.

Richard Stammers, responsável pelos ótimos efeitos de "Prometheus" e "X-Men: Dias de um Futuro Esquecido" (filmes aos quais foi indicado em anos anteriores) era o grande favorito em vencer nessa categoria no Oscar 2016. Seu trabalho é de fato primoroso. Quem assistiu a "Perdido em Marte" no cinema em 3D sabe que seu trabalho foi simplesmente perfeito. Ele, utilizando-se de imagens captadas pela NASA no planeta vermelho, recriou aquele planeta inteiro para o universo imaginado por Ridley Scott. Realmente é de uma perfeição absurda. Em minha opinião nenhum dos demais candidatos (nem mesmo "Star Wars - O Despertar da Força" com seu visual de videogame) conseguiu chegar perto. Era realmente o trabalho que merecia ter vencido, caso os votos fossem apoiados em questões puramente técnicas e não também políticas e de relações públicas como sempre acontece em termos de Oscar.

Já "Mad Max - Estrada da Fúria", apesar de ser também um trabalho brilhante, não merecia tanto. Os desertos da Austrália e da Namíbia já são presentes da natureza, por essa razão não se pode comparar com toda a extensão de se criar um planeta do nada como foi visto em "Perdido em Marte". Além disso grande parte dos efeitos desse filme são de outra natureza, mecânicos, analógicos e não digitais como nos demais concorrentes. Ficou um pouco fora do páreo justamente por essas razões. E por fim chegamos no vencedor "Ex_Machina Instinto Artificial". Penso que esse filme venceu por duas razões básicas: a primeira se deve pela própria sutileza dos efeitos criados pela equipe técnica do filme (Andrew Whitehurst, Paul Norris, Mark Ardington e Sara Bennett). Tudo é de uma beleza digital realmente perfeita, tão bem inserida dentro da trama que em nenhum momento tomam conta do filme. Os efeitos ajudam a narrativa e não passam por cima dela. Isso justifica a segunda grande razão do porquê o filme ter sido premiado. A inserção extremamente bem realizada dos efeitos dentro do roteiro, de sua história, é algo que a cada dia se torna extremamente raro em Hollywood.

Pablo Aluísio.

Um comentário:

  1. Ex Machina - Oscar de Melhores Efeitos Especiais
    Pablo Aluísio
    Todos os direitos reservados.

    ResponderExcluir