terça-feira, 3 de janeiro de 2017

A Maldição de Quicksilver

Título no Brasil: A Maldição de Quicksilver
Título Original: Quicksilver Highway
Ano de Produção: 1997
País: Estados Unidos
Estúdio: 20th Century Fox Television
Direção: Mick Garris
Roteiro: Clive Barker, Stephen King
Elenco: Christopher Lloyd, Matt Frewer, Raphael Sbarge
  
Sinopse:
Baseado na obra “Pesadelos e Paisagens Noturnas” de Stephen King, esse filme traz duas pequenas estórias. Aaron Quicksilver é um sujeito misterioso que vaga pelas estradas empoeiradas do interior dos Estados Unidos contando velhas estórias de terror para quem encontra pela frente. Em uma delas ele relembra a insensatez de um homem que havia perdido sua mão em um acidente. Na outra os apuros enfrentados por um senhor que havia adquirido uma dentadura amaldiçoada.

Comentários:
Produção feita para a TV americana que foi lançada no mercado de VHS no Brasil. O roteiro foi escrito por dois gênios do universo de terror. O escritor de livros de sucesso Stephen King escreveu o roteiro de "Chattery Teeth" e Clive Barker de "The Body Politic". De certa maneira o filme se apoia na velha fórmula de explorar pequenos contos de terror ligados entre si por um tipo de instrumento narrativo que vai ligando todas as narrativas. É interessante que assim que foi lançado o filme foi muito elogiado pela crítica dos Estados Unidos, a ponto de ser indicado ao Oscar da TV americana, o Primetime Emmy Awards. Na verdade o roteiro original quase foi adaptado para o cinema, mas o estúdio Fox, no último momento resolveu cortar custos para lançar na TV mesmo. Parte do elenco ficou, como o ótimo ator Christopher Lloyd (o Dr. Emmett Brown da série "Back to the Future"). Em termos de suspense e medo não vá esperando por algo muito assustador. A opção dos realizadores foi mesmo produzir um produto pop para consumo médio. Nada muito fora dos padrões, embora o filme seja inegavelmente bom e divertido. Faz muitos anos que vi sendo exibido pela última vez. Pode ser uma boa opção para a saturada programação dos canais a cabo. Deixo assim a dica.

Pablo Aluísio e Júlio Abreu.

3 comentários:

  1. Avaliação:
    Direção: ★★★
    Elenco: ★★★
    Produção: ★★★
    Roteiro: ★★★
    Cotação Geral: ★★★
    Nota Geral: 7.2

    Cotações:
    ★★★★★ Excelente
    ★★★★ Muito Bom
    ★★★ Bom
    ★★ Regular
    ★ Ruim

    ResponderExcluir
  2. Pablo, eu nunca li um livro do Stephen King por achar esse tipo de livro subliteratura, preconceito puro: mas vi vários filmes baseados em livros dele. Guardadas todas as reservas, uma vez que livro é livro e filme é filme, eu confesso que ele nunca me impressionou com suas temáticas. Não me causou medo, ansiedade e o pior, nem ficou na minha memória, que costuma ser muito boa, ao ponto de eu não poder citar aqui pra você algum detalhe de um destes filmes, nem pra falar mal. O Stephen King é pra mim a mais perfeita tradução do termo anódino.

    ResponderExcluir
  3. Ele sempre foi um escritor pop. Já escreveu bons livros, mas também já escreveu enormes bobagens, imensas porcarias, principalmente depois que descobriu que poderia ficar muito rico com as adaptações de seus filmes para o cinema.

    ResponderExcluir